Block.pt - Jogo de Tabuleiro/Mesa Abstracto de Estratégia

ACERCA DO JOGO

O Block é um jogo abstrato de estratégia que se poderá dizer militar ou bélica, dadas as semelhanças que as situações encontradas em jogo têm com cenários de guerra. É constituído por um tabuleiro de quarenta quadrados ou casas e por quarenta peças ou blocos, metade escuros e metade claros. Foi criado por Nelson Ferreira em 1997 no Monte de Caparica em Almada – Portugal. Desde essa altura que um crescente número de entusiastas tem desenvolvido várias estratégias e abordagens às diversas situações que vão surgindo em jogo como desafios ao seu intelecto.

O “primeiro torneio dedicado aos simpatizantes” ocorreu a 20 de Março de 2011, tendo sido apenas uma pequena reunião de confraternização de amigos à volta de um tema que os liga como simpatizantes, este jogo chamado Block. Mais dois outros torneios já ocorreram entretanto, a 12 de Novembro de 2011 dedicado à então Freguesia da Caparica e a 2 de março de 2013 dedicado ao 25º Aniversário do Centro de Convívio CCDC CHUT2.

O nome do jogo teve origem nos factos de as peças serem constituídas por blocos e o objetivo do jogo ser bloquear os movimentos de todas as peças do adversário.

A ideia para a criação do Block surgiu como uma alternativa ao célebre Xadrez, alternativa esta que representa da mesma forma um confronto entre duas partes mas tendo em conta uma estrutura de valores sociais e morais contemporânea, quando se fala em valores sociais e morais são referidas as características das peças e consequências das respetivas interações:

Se observarmos as características das peças do Xadrez, vemos que pressupõe uma estrutura de valências que evoca uma estrutura social dos tempos medievais, com um Clero (Bispos) e uma Nobreza (Torres, Cavalos, Rainha e Rei) com muito mais poder de ação que a Plebe (Peões) sendo que estes valores se mantêm constantes ao longo de todo o jogo como se de um direito de nascença se tratasse. Ainda demonstrando algumas semelhanças com uma conduta medieval, temos que as consequências do confronto dos adversários são drásticas ou capitais, isto é, as peças podem ser obliteradas do jogo, e todo este desempenho visa comprometer a posição de poder do “Rei” adversário. Em contrapartida no Block todas as peças são vistas não apenas como individualidades mas também como grupos de indivíduos cooperantes. No início do jogo todas começam com as mesmas valências, podendo progredir ao longo do jogo no que diz respeito ao seu potencial se cooperarem, sendo que estas valências adquiridas podem não ser permanentes dado que as regras e própria estratégia de jogo pressupõem uma flutuação na distribuição das peças pelo tabuleiro. Ainda em contrapartida temos que nunca se eliminam permanentemente as peças do jogo, apenas ficam presas ou impossibilitadas de interagir, podendo ser libertadas mais tarde, e finalmente o objetivo do jogo não está concentrado num único personagem mas sim no bloqueio de todas as peças adversárias.

Todos os quatro tipos de peças possíveis em jogo têm tanto características individuais como características em comum. Em comum temos que as regras que regem os seus movimentos são as mesmas para todas elas, mas resultando em movimentos diferentes consoante o tamanho da peça, a interação entre os adversários é feita segundo os mesmos princípios, resultando muito embora em valências diferentes consoante a conjuntura obtida pelas várias peças em confronto, as causas do aumento e da redução das potencialidades das peças são as mesmas para todos os tipos, não obstante os efeitos variarem com as respetivas características particulares dadas pelo respetivo tamanho. Seguem algumas dicas acerca de comportamentos particulares dos vários tipos de peças:

- Peças de um bloco: Possibilitando a construção de todos os outros tipos de peças, são as mais fracas tanto na movimentação, pois sendo obrigadas a mover-se para cima de peças da mesma cor podem ficar isoladas, como no seu potencial em relação aos confrontos com as peças adversárias, pois não podendo fazer prisões podem ser presas por todos os outros tipos. Ter em atenção que poderão ser os obstáculos ideais na obstrução de trajetórias adversárias, pois sem que se gastem muitos blocos num bloqueio sobram mais para a estruturação da restante estratégia.

- Peças de dois blocos: Por terem movimentos quase tão curtos como as de um bloco sem que fiquem bloqueadas por estarem isoladas, são muito difíceis de bloquear, sendo extremamente úteis numa situação de desvantagem estratégica ou de eminente derrota.

- Peças de três blocos: São as peças mais versáteis de todas, pois à partida têm maiores possibilidades de movimento que todos os outros tipos de peças. Assim, enquanto as peças de um e de dois blocos podem na melhor das hipóteses escolher uma casa terminal entre quatro possíveis e as de quatro escolher no máximo entre oito, as de três têm doze possibilidades para uma eventual casa terminal, Para além disto temos que ainda têm a vantagem de optar por fazer movimentos curtos ou longos.

- Peças de quatro blocos: Embora sejam as peças que podem prender todos os outros tipos de peças sem que possam ser presas por nenhuma, são as peças mais fáceis de bloquear através da obstrução de trajetórias, pois estão obrigadas às trajetórias mais longas de todas. Raras são as situações em que se deve optar pela construção deste tipo de peças, uma dessas situações pode ser a de aproveitar a possibilidade que estas peças têm de se transformarem em duas mais pequenas sem que se movam, tendo em atenção que para isso ter-se-á que garantir que na jogada a seguir à sua construção, ela possa mover-se em círculo e voltar à casa de partida. Apenas jogadores já com alguma experiência devem arriscar valer-se de peças de quatro blocos.

Neste jogo é impossível ocorrerem empates visto que ganha quem joga por último. Não obstante existe a possibilidade de mútuo bloqueio atingida jogando em “espelho” que poderia sugerir um empate, mas perde quem começou a partida e que por jogadas simétricas fica na mesma situação que o adversário, mas com uma diferença, não pode jogar após a jogada adversária, pois já estava na situação de bloqueio total em que o adversário se colocou quando jogou por último. Em 2010 foi criada pelo autor do Block a modalidade deste jogo para quatro jogadores. Jogado por duas equipas de dois jogadores, cada um tem dois adversários e um aliado. Com esta modalidade atinge-se uma muito maior complexidade estratégica, não só por movermos apenas dez dos vinte blocos de uma das equipas, como pela possibilidade de haverem peças mistas, constituídas por blocos nossos e blocos do nosso aliado, como também por o sentido em que decorrem os turnos das jogadas poder ser invertido por bloqueio parcial, isto é, um dos jogadores está bloqueado mas o outro da mesma equipa não.

Uma curiosidade que se pode observar no Block é a constância do valor ”4″ consequente da estrutura física do jogo e das regras impostas à sua jogabilidade: Para além de as casas constituintes do tabuleiro e os blocos que se movimentam nelas terem 4 lados; o jogo começa organizado em 4 quadrantes; cada quadrante está em contacto lateral com cada um dos dois quadrantes adversários através de 4 peças; existem 4 orientações de movimento que as peças podem tomar; podem obter-se 4 diferentes tipos de peças, de um, dois, três ou quatro blocos cada; as peças podem desempenhar 4 ações principais, agregar, dividir, prender e libertar; existem 4 formas de bloquear o movimento às várias peças, através da prisão de peças, obstrução de trajetórias, isolamento de peças de um bloco e ocupação de casas terminais por peças que inviabilizem agregações ou prisões; o nível máximo de complexidade estratégica obtém-se quando este jogo é jogado por 4 jogadores; nesta modalidade a casa terminal de qualquer peça pode estar em 4 circunstâncias diferentes, ocupada por uma peça nossa, por uma do nosso parceiro, por uma adversária ou estar desocupada.

É um jogo com poucas regras, porém a interação destas num sistema de turnos em que duas ou quatro partes tomam decisões independentes, torna cada cenário de jogo único e por ventura irrepetível. Ainda para contribuir para esta imprevisibilidade quase caótica dos eventuais cenários de jogo, temos que as peças vão-se obrigatoriamente alterando de várias formas no decurso da partida, estejam os blocos agregados ou divididos. Um cálculo aproximado feito ao número de todos os cenários possíveis de Block, chegou à conclusão de que são hipoteticamente possíveis 1,77x10³³ conjunturas de jogo diferentes para 2 jogadores e 6,03x10⁴³ para 4 jogadores.

Texto actualizado a 08/06/2017.